Muitas vezes complicamos a vida com as “coisas” que estão na nossa cabeça.

Com os nossos pensamentos negativos ou obsessivos, projeções, expetativas, preocupações, prognósticos ou suposições que, por vezes, nem sequer se confirmam. Sofremos por antecipação e somos controlados pelos nossos pensamentos. Perdemo-nos na nossa cabeça tantas vezes.
A realidade é que o homem do sec. XXI vive em constante stress e preocupação, sentindo-se muitas vezes sozinho na companhia dos gadgets, e são muitas as pessoas que se refugiam dessa realidade optando por consumo de álcool, drogas, saídas a noite, que são formas de anestesia da realidade que não satisfaz e da qual tentam fugir.

E como lidamos com a nossa realidade, com os nossos problemas, será que a nossa realidade nos satisfaz?

É importante perceber que o mundo exterior e a forma como lidamos com ele é o reflexo do nosso estado interior ao qual frequentemente damos pouca atenção ou nenhuma com medo de nos confrontarmos com aquilo que dói.

E aquilo que dói e não é visto é mascarado sob forma de ansiedade mas também há mecanismos psicológicos que provocamos em nós mesmos e que levam aos estados de ansiedade, como:

Lembrar as tristezas do passado e antecipar o futuro provocam a ansiedade…
Não viver no presente e a realidade provocam a ansiedade…
Sermos escravos dos medos provoca a ansiedade…
Stress diário provoca a ansiedade….
Viver desconectado de si e do mundo que o/a rodeia provoca ansiedade…
Insatisfação interior provoca ansiedade…
Pensamentos obsessivos provocam a ansiedade…
Tensão provoca ansiedade…
Hábitos não saudáveis de alimentação e estilo de vida provocam a ansiedade…

A vida acontece no presente, no aqui e agora. E nós estamos onde? Habitualmente estamos ou no passado ou no futuro, mas isso é apenas na nossa cabeça.

Se aprendermos a viver no aqui e agora e não tivermos pensamentos obsessivos sobre o passado e futuro, podemos viver sem ansiedade e desconforto emocional.

Apenas o nosso corpo vive no presente, quase sempre a mente se encontra no passado ou no futuro – vive em permanente caos. Por isso, é importante aprendermos a viver no presente através do desenvolvimento da perceção e descobrir o silêncio interior para ficarmos em paz e harmonia, felizes no aqui e agora.

O desenvolvimento da perceção tem a ver com o resgate dos nossos sentidos, com o sentirmos o corpo e a vida como ela é – o ambiente a sua volta e o que se passa dentro de si. A perceção é a nossa relação com a realidade. Mas será que confiamos nas perceções? A perceção parece algo demasiado simples. Muitas vezes confiamos mais no intelecto do que nas perceções.

A proposta é aprender a sentir para sermos verdadeiramente felizes! Até porque a felicidade é a sensação de se ser feliz, não é um pensamento. Imaginar a felicidade e pensar nela é diferente de se sentir feliz.

Se não resistirmos à vida, confiarmos nela, vamos sentir-nos acolhidos por ela e em segurança.

A ansiedade deixa de existir.

Abrir chat
Olá,
no que podemos ajudar?